Loja virtual de quadrinhos alternativos

Pandemônio é uma gangue anarco-sindicalista de quadrinistas sediados em Belo Horizonte, cujo objetivo é tornar o mundo um lugar melhor através dos quadrinhos.

A loja virtual busca facilitar o acesso de leitores de quadrinhos a obras independentes, que não são distribuídas pelos canais mais tradicionais.

Pense no site como uma pequena comic shop agradável e confortável que fica no seu bairro. Um local onde você encontra fãs de quadrinhos e o dono te indica novos títulos que você nunca tinha ouvido falar antes, mas que podem te surpreender e salvar o seu dia.

O site é mantido por artistas independentes e não tem nenhuma conexão com nenhuma empresa. Todos os negócios são feitos na base da camaradagem e do artesanato. Os produtos serão enviados pessoalmente pelos artistas.

Salvem o link aí, um dia vocês vão querer. Quadrinhos bons, a um preço justo: Pandemônio Comix.

Créditos da Foto: falcifer.

Aplicativo envia fotos de Marte para o celular

A NASA tem uma sonda, chamada Opportunity, que envia fotos de Marte desde 2004. E agora, algumas dessas fotos podem ser acessadas pelo celular através do maneiro aplicativo Mars Images.

O aplicativo é gratuito e tem versão para iPhone e Android.

Baixei só porque me veio a cabeça: “E se…”.

O pessoal da Federação Galáctica que vai curtir.

Via: [Receba imagens de Marte no seu celular]

Filosofia, mediocridade, a SOPA e a PIPA

Alguns quotes de um texto que acabei de ler.

Ayn Rand é uma filósofa russa naturalizada americana que viu com os próprios olhos quando era criança o fucking governo comunista-socialista soviético transformar a pequena farmácia que o pai dela construiu com tanto trabalho em um bem público do governo.

Fugida da maluquice dos socialistas soviéticos, Ayn Rand foi viver em Nova Iorque nos EUA onde conheceu o Capitalismo com C maiúsculo.

Pausa: Pra você que é um pseudo-esquerdista, se coloque no lugar deste comerciante e responda porque o socialismo é tão bom assim. Queira você ou não, o capitalismo é nosso destino. É tarde pra mudar isso.

Continuando: Ayn Rand escreveu um livro chamado Atlas Shrugged, em 1957. Esse livro fala sobre uma série de coisas que estão acontecendo agora (mais de 50 anos depois de sua publicação).

Em Atlas Shrugged, Ayn Rand fala sobre um mundo que vai para o saco quando a galera dos bancos & investidores transformam a sociedade em uma arena de especulação. Atlas Shrugged fala sobre um mundo onde ganha-se mais dinheiro especulando com dinheiro do que produzindo, inovando e empreendendo coisas bacanas.

Eis uma verdade: a maioria das pessoas usa seu conhecimento pra ganhar dinheiro, e não pra inovar. E acho pouco provável que façamos parte da minoria.

Em Atlas Shrugged, Ayn Rand fala sobre um mundo onde os intelectuais resolvem cair fora e fazer greve porque cansam de viver em um lugar medíocre onde as pessoas só querem falar sobre mediocridades, arrumar emprego público, conseguir ajuda do governo etc etc etc

Sem comentários. E agora a parte que mais me chamou a atenção:

Em Atlas Shrugged, Ayn Rand fala sobre um mundo onde o governo passa a controlar absolutamente tudo frente a tamanha expansão das ferramentas inovadoras criadas pelos empreendedores da história para proporcionar liberdade de expressão e riqueza para todos.

(…) a Wikipedia anunciou que vai tirar a Wikipedia em língua inglesa do ar por 24 horas em protesto contra duas leis americanas, a SOPA e a PIPA, que se forem aprovadas vai atrapalhar a liberdade de expressão na internet.

Segundo essas leis, qualquer comentário feito por qualquer pessoa em qualquer site é culpa dos criadores do site. Segundo essas leis, quem paga o pato pela promoção de alguma besteira na internet (pedofília, ódio etc) seriam os CRIADORES dos sites, ou seja Wikipedia, Google, Facebook etc, e não quem sacaneou ou trollou a besteira ou o ódio.

Facebook, Google e Twitter estão cogitando tomar a mesma atitude e desligar seus sistemas por 24 horas em protesto contra a lei que coloca os TROLLS no trono e detona os criativos do mundo.

É a Profecia de Ayn Ran se concretizando.

É a fucking mediocridade tomando conta da porra da televisão (big brother), da economia (especuladores) e da livre produção de idéias empreendedoras (trolls da web).

Enquanto todas as ferramentas inovadoras são usadas de forma medíocre, um governo (também medíocre) pune os criativos num ato covarde que vai contra a liberdade de expressão. Só isso.

Para saber mais: A Profecia de Ayn Rand.

O homem que vive com apenas 15 coisas

Enquanto milhões de pessoas querem ter sempre mais pra viver melhor, Andrew Hide fez justamente o oposto, ele vive com apenas com o necessário: exatos 15 objetos.

Ele não é pobre e não precisa de ajuda, Andrew é mais rico do que você imagina. Ele trabalha como consultor de empreendedores, é fundador da Startup Weekend e organizador do TEDxBoulder.

Como está sempre viajando entre Nova York e o Vale do Silício, Andrew não possui residência fixa e sempre carrega seus 15 objetos pessoais. Ele conta que sempre se interessou pelo conceito de minimalismo e tentava se contentar com apenas 100 itens, em agosto de 2010 ele vendeu a maioria dos pertences e só ficou com 15 objetos:

  1. Mochila Arc’teryx Miura
  2. Camiseta NAU
  3. Camisa NAU
  4. Capa de chuva da Mammut
  5. Camiseta da Arc’teryx
  6. Shorts de corrida da Patagonia
  7. Toalha de secagem rápida
  8. Jaqueta de lã NAU
  9. Kit de higiene
  10. Óculos de sol
  11. Carteira
  12. Macbook Air
  13. iPhone 3GS
  14. Calça jeans
  15. Tênis de corrida

A única exceção são meias e cuecas, que ele possui um estoque separado. Ele possui apenas duas camisas e as reveza: um dia sim, um dia não pra cada.

E você, conseguiria viver só com isso? Se eu tivesse dinheiro de sobra, viveria com apenas 3: carteira, Macbook e iPhone. Tudo bem que eu teria que comprar roupas novas todo dia, mas enfim…

Brincadeiras à parte, apesar de achar Andrew extremista, acho que todos deveriam se empenhar em consumir menos. Deve fazer bem.

Via: [Oddity Central]

Vídeo-aulas: Desenvolvimento para iOS

Nos últimos meses venho lendo bastante sobre desenvolvimento de aplicativos para Mac OS e iPhone. A idéia é brincar um pouco com isso em 2012.

Com isso, fui atrás de vídeo-aulas sobre desenvolvimento para iPhone e encontrei 2 links que considerei os melhores até agora.

  • Objective C no Lynda.com: oferece um curso completo com duração de quase 6 horas. Algumas aulas são gratuitas, o restante pode ser acessado pagando a assinatura do site (que dá acesso a todos os cursos disponíveis). As aulas são em inglês.
  • Desenvolvimento iOS no iTunes U: são 11 vídeo-aulas totalizando pouco mais de 8 horas de curso em português de Portugal. O melhor: 100% gratuito.

Acredito que ambos os cursos são bons e podem ajudar quem está começando.

Pensei em falar que é possível baixar as aulas do Lynda em torrents da vida, mas preferi não comentar. Sabe como é, pirataria é crime.

Créditos da foto: JD Hancock.

Get Back

Beatles cantando Get Back no telhado

Houve um tempo em que a internet era um mar de mistério. Pelo menos pra quem trabalhava com isso.

Sites em tabela, Flash, Web 2.0, CSS, comunicação integrada, poucos sabiam onde tudo isso ia dar. Mas tava todo mundo lá, arrumando uma forma de ganhar dinheiro e se estruturar. “Internet é o futuro” diziam eles.

Lembro dos primeiros blogs, desenvolvedores ganhando tempo com open-source, a gente tentando ensinar leigos a usar RSS, Youtube surgindo, Bloglines, Megaupload, Web Standards, orientação a objeto, segunda bolha da internet. Mano, era uma zona.

Era uma zona porque cliente não botava fé na internet, agência não sabia onde pisava e quem botava a mão na massa estava sedento por informação. Sobrava conhecimento na mão-de-obra, faltava experiência.

Consigo me enxergar claramente nesse cenário porque foi o que vivenciei. Não tenho dúvidas de que existem outros pontos de vista, mas essa era a minha vida.

Pulei da ilustração, pra animação em Flash, pro site em Flash, pro site, pro Web Design e por aí foi. Quando aprendi padrões web (obrigado Maujor e Tableless), achei que ia mudar o mundo com HTML. Estudei metodologias ágeis, frameworks PHP, javascript, Ruby on Rails, muita coisa. Eu realmente já estudei muito, me orgulho dessa época e me envergonho por não ser mais tão empenhado assim.

Estudei tanto que comecei a achar que eu era um guru. Se eu era um guru, por que não escrever artigos? Criei um blog pra isso e, de quebra, comecei a mexer com WordPress.

De lá pra cá, já foram 5 anos. Criei uma infinidade de outros blogs e aprendi muito de SEO, planejamento e gestão de projetos. Tudo que eu queria testar, ia pra esse primeiro blog. Ele ficou zoado, muita coisa inútil, muito teste de link building, muito teste de WordPress, muito teste de tudo.

Sou extremamente perfeccionista, me dava asco entrar no painel de administração do site e ver o caos instaurado.

Resumo da história: transferi o conteúdo do site, deletei tudo que tinha no servidor e comecei de volta.

O nagueva.com voltou a ser um blog, blog mesmo. E esse é o primeiro post.

(8) Get back (tundundum), get back (tundundum), get back to where you once belonged.