Internet e a obrigatoriedade de reclamar

Quote sobre um mimimi que rolou de um documentário sobre sereias. Sim, você não leu errado, SEREIAS.

… a internet deu voz a muita gente que, infelizmente, não merece ter uma. Tudo é oito ou oitenta, todo mundo se sente no direito de ficar ofendido e quem sofre são as timelines alheias.

E aí ele continua:

Ficar bravo com o Animal Planet deve estar em 5446° lugar na minha escala de prioridades na vida.

Assino embaixo, isso é meio que um resumo do que sinto pelas redes sociais. Realmente precisa dar piti por tudo?

Texto completo no Brainstorm9.

Sobre o jornalismo nos dias de hoje

Dos veículos surgidos na última década, o Huffington Post é o que dá mais sinais de ter entendido essa lógica. O Huffington Post não precisaria contratar os serviços das agências de notícias nem ter repórteres em todas as pautas possíveis. A publicação se permite usar um recorte do texto de um blog, mais um trecho da CNN e outro da Associated Press num texto que usa material já publicado para gerar um conteúdo novo. Como os créditos são citados e o Huffington não tem medo de oferecer os links para os materiais originais (prática que gera resistência na imprensa tradicional), não há parâmetro ético a ser questionado.

Álvaro Borba, mais uma vez, mandando bem. Recomendo a leitura do texto completo.

12 dicas pra ser mais produtivo

  1. Existem três fases no processo de fazer: “não saber”, “agir”, “terminar”.
  2. Aceite que todas as coisas são apenas um rascunho. Isso vai te ajudar a terminar o trabalho.
  3. Não existe uma fase de “edição”.
  4. FINGIR que você SABE o que está fazendo é quase a MESMA COISA que SABER o que se está fazendo, então aceite o fato de que você SABE o que está fazendo mesmo quando NÃO sabe e faça o trabalho de uma vez.
  5. Erradique a procrastinação de sua vida. Se você levar mais tempo do que o razoável pra fazer um trabalho, deixe pra lá e parta pra próxima.
  6. O objetivo não é só terminar o trabalho em si, mas ficar livre pra terminar outros assuntos também (seja pintar um quadro ou terminar de ler Game of Thrones).
  7. Depois que você termina o trabalho você pode esquecer dele e partir pra próxima.
  8. Ria da Perfeição. Ela é chata e impede você de terminar o trabalho de uma vez.
  9. Ter mãos “limpas é errado”. “Sujar” as mãos é o certo. Então ponha a mão na massa e manda bala.
  10. Erros também contam como trabalhos feitos. Não tenha medo de errar. Aprenda com isso.
  11. Terminar as coisas é a mola propulsora pra poder fazer mais coisas.
  12. Destruição é uma maneira de terminar as coisas.

Chama-se o Manifesto do “Tá Feito”. Tem mais detalhes no site do Liber.

Sobre a rentabilização de redes sociais

Primeiro, o questionamento da monocultura de que existe somente o modelo de receita via publicidade. Segundo, uma crescente conscientização por parte dos usuários de que não existe almoço grátis na web.

Excelente quote de um artigo do Tiago Dória.

Em tempo: você consegue pensar em como uma rede social pode ser financeiramente saudável sem publicidade? Nesse ponto concordo com o Fred Wilson, essa crença que a publicidade é melhor alternativa, desacelera a inovação.

Créditos da foto: Menazort.

Sun, um “aplicativo” simples (dá pra criar aplicativos mobile só com HTML e CSS?)

Hoje conheci o Sun, um aplicativo minimalista de previsão do tempo. A diferença é que não necessariamente ele é um aplicativo para iOS, mas sim um url que você acessa e salva nos seus bookmarks.

Continuar lendo Sun, um “aplicativo” simples (dá pra criar aplicativos mobile só com HTML e CSS?)

Uma pira rápida sobre startups, pitches e investidores

Dentro do universo de startups, é comum ouvir o termo “pitch”. Pitch nada mais é do que apresentar seu negócio de maneira rápida mostrando o quanto ele pode ser útil/interessante para o espectador. Pitch é uma apresentação rápida em uma abordagem oportunista.

O objetivo do pitch não é convencer um potencial investidor.

Estava pirando nisso quando acessei essa página do Piccsy voltada pra investidores. Hoje todos sabemos o quanto o papel do investidor pode ser decisivo no futuro de uma startup. Se esse papel é tão importante, porque não ter um mini-apresentação voltada pra esse cara?

Não que isso seja uma regra, mas acho uma abordagem mais válida do que depender de pitches. Uma coisa é apresentar um projeto rapidamente, outra é convencer um investidor.

Créditos da foto: elisisu5.

Uma interface minimalista para publicação em blogs

Gostei muito da iniciativa do Svbtle. Eles possuem uma pegada minimalista pra tudo, desde o conceito até a interface. A essência do projeto é o ato de blogar (nada de post types, nada de widgets, nada de tags, nada de categorias), só artigos e mais nada.

A interface de administração possui apenas 2 colunas: uma para idéias, outra para os posts publicados. A tela de edição do post conta com apenas 2 campos: título e conteúdo. Só isso.

Óbvio que isso não é suficiente para projetos de grande porte, mas resolve a vida pra grande maioria dos blogs.

Isso até é algo que discuti esses tempos com o Seu Felipe. O WordPress é muito bom, mas é muito robusto para projetos simples.

Além desse post sobre a interface do Svbtle, recomendo que você navegue pelo site. Digno de vários posts no Little Big Details.

Fico no aguardo de um plugin que traga isso pro WordPress.

Porque o Instagram lançou uma versão Android

Não sei a data exata de lançamento da primeira versão do Instagr.am, sei que eu uso há pelo menos um ano. Atualmente o Instagram está na versão 2.2.1 no iOS e hoje (03/abr) foi oficialmente lançado a versão para Android.

Não vou entrar na discussão de qual sistema operacional é melhor, só gostaria de compartilhar uma coisa: números.

  • Em toda sua vida de iTunes Store, o Instagram obteve 34.104 avaliações na loja da Apple.
  • Em seu primeiro dia de Android, o Intagram obteve 32.917 avaliações no Google Play.

Repito: um dia.

Existem uma série de variáveis aí (momento, divulgação e popularidade são algumas delas) que devem ser levadas em conta antes de qualquer conclusão. Mas enquanto alguns vivem na bolha iPhone e acham que o Instagram deveria ser só deles, a empresa pensa além.

Meu chute é que a base de usuários do aplicativo deve ter triplicado. Ou até mais, se liga nesses 2 mil cadastros por minuto.

2 mil cadastros por minuto. Tem gente que não consegue isso na vida.